Prefeitura Municipal de Nova Odessa
Estado de São Paulo
Conteudo do Site da Prefeitura Municipal de Nova Odessa


Rodrigo Leme, de Nova Odessa para a Itália, dá aula de humildade e garra em clínica de vôlei

sexta-feira, 3 de abril de 2009
 

Com olhares e ouvidos atentos, mais de 30 alunos das equipes de vôlei masculino e feminino da CEL (Coordenadoria de Esportes e Lazer) da Prefeitura de Nova Odessa participaram na tarde desta sexta-feira, 3 de abril, no Ginásio Municipal do Jardim Santa Rosa, de uma clínica de vôlei com o jogador de vôlei Rodrigo Leme. O levantador iniciou sua história no vôlei na cidade, no início dos anos 90, e hoje é titular da equipe Pallavolo Pineto, na Itália.

Acompanhado por parentes, Rodrigo esteve ao lado de seu antigo técnico, o professor da CEL José Mauro Pereira, que lembrou que apoio da família foi essencial na formação do jovem talento. “Ele sempre teve uma família que o acompanhou. O apoio dos pais é fundamental. Ser professor é um simples papel nesta formação, que não seria a mesma sem o apoio dos pais, como no caso do Rodrigo”, disse Pereira.

O novaodessense contou aos alunos toda a sua trajetória, desde as equipes de base de Nova Odessa até o desempenho no seu atual time, na Itália. O levantador mostrou que tudo foi conquistado com muita batalha.

Entre os times pelos quais Rodrigo passou estão o Corinthians, sua primeira experiência em morar fora de casa, aos 14 anos. “No meu primeiro ano no Corinthians, o time de vôlei morava debaixo da arquibancada do Parque São Jorge, junto com os times de basquete, boxe e futsal. No segundo ano, o time passou a morar debaixo da arquibancada do Ginásio, só nós”, contou o jogador.

O levantador também lembrou aos alunos quando treinava por Nova Odessa. “Eu já estive no lugar de vocês, sentado, aprendendo como vocês estão agora. A Itália é uma coisa nova, batalhei para estar lá”, lembrou. Rodriguinho, com é conhecido, vem de uma família ligada ao esporte. Seus pais são técnicos e a irmã também já jogou vôlei.

Itália

O levantador contou da importância do vôlei para os italianos. “Lá, temos os melhores campeonatos do mundo e os melhores jogadores. Na Itália, o vôlei é melhor justamente por causa dos estrangeiros. O campeonato é lindo”, comentou.

Segundo Rodriguinho, na “bota” o vôlei é tão divulgado quanto o futebol. “O futebol é o esporte número um do mundo, mas na Itália o vôlei também é divulgado. As torcidas enchem os Ginásios e vão carregados de bumbos e cornetas. Tem vezes que chega a ser ensurdecedor e temos que pedir para eles se silenciarem”, lembrou.

A humildade do jogador é transparente – tanto que Rodrigo permaneceu entre as crianças como se fosse uma delas. Ele falou de um dos momentos de mais destaque na Itália: no 1º turno do Campeonato Italiano, acontece o All Star Games, jogo em que os 12 melhores jogadores italianos disputam contra os 12 melhores estrangeiros.

O levantador foi um dos estrangeiros escolhidos do ano. E faziam parte do time dos estrangeiros, que venceu os italianos, outros quatro brasileiros. “O engraçado é que há uma festa enorme para este jogo e este evento é criado exatamente para os italianos ganharem, só que quem venceu fomos nós”, brincou.

O jogador trouxe vídeos e fotos do Italiano para os alunos da CEL e presenteou seu primeiro técnico com duas camisetas de times em que já atuou. Para as crianças, o jogador também sorteou algumas camisetas.

O coordenador de Esportes e Lazer, Eduardo Mota, agradeceu a presença de Rodrigo e lembrou às crianças de que elas precisam ser determinadas como o novo ídolo. “O sonho está perto, é só lutar. Temos aqui um bom exemplo de quem batalhou e não deixou que as dificuldades atrapalhassem”, citou Mota.

Rodriguinho agradeceu a oportunidade de estar novamente com o técnico que o iniciou no esporte. “Estou aqui como forma de agradecimento. É um grande prazer voltar aqui. Foi o Mauro que me ensinou a pegar na bola e a sacar. Gostaria de ter trazido mais presentes”, comentou o levantador. Após o bate-papo, o jogador, que está de férias no Brasil, jogou bola com os alunos.

Mirela Leme